terça-feira, 28 de janeiro de 2014

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Matic e Jorge Jesus

O treinador do SLB disse hoje o seguinte:



Para mim, trata-se pura e simplesmente de 2 atestados de incompetência:
-A toda a formação do Benfica, incapaz de produzir jogadores como o Matic (formados na Sérvia e Eslovênia, esses astros da formação);
-Ao presidente do clube que vendeu o melhor médio defensivo do mundo por 25M€ depois de ter pago 4M€ pela renovação do contrato para subir a clausula de rescisão de 40M€ para 50M€. (página 21)
Para quê subir a clausula e gastar 4M€ com a renovação?

Este filme diz tudo:

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Falhanço do Estado e Privatizações

Seguindo a mesma premissa, porque foram privatizados os CTT, a ANA, os seguros da Caixa, a REN, a GALP, a PT, e EDP?

Será que o Estado era mau gestor? As empresas não estavam bem?

A verdade é que os governantes que nomeiam gestores públicos querem apenas uma coisa, que o Estado privatize tudo e que tudo seja entregue a meia dúzia de pessoas.

Se fosse apenas por incompetência do Estado em vez de privatizarem o BPN deveriam era nacionalizar toda a banca, ou será que a CGD é mal gerida pelo Estado?

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Salário Mínimo Nacional

Temos um Governo bastante criativo.

Acha que aumentar os descontos para a ADSE e a Contribuição Extraordinária de Solidariedade não é aumentar os impostos. Chamemos-lhe apenas: aumentar a receita do Estado.

Sabemos também que num momento de "emergência nacional" todas as interpretações da Constituição são possíveis. Ou seja, a Constituição pode ser suspensa porque Portugal está em "emergência". Já ouvi propostas semelhantes há uns anos, de quem não acredita em reformas Democracia..

Hoje soube-se também que o Governo arranjou uma forma criativa de baixar o salário mínimo nacional. Ao novo "estatuto" o governo chama-lhe trabalho social, e essas pessoas são pagas a 419€ mês. Estão abrangidos todos aqueles que não têm trabalho nem subsídio de desemprego. Voltámos portanto a um valor semelhante ao do ano 2008, se descontarmos a inflação, temos um retrocesso de quase uma década. (Resta saber quantas horas terão de trabalhar socialmente por semana)

Não há dúvida nenhuma que o objectivo é aniquilar os pensionistas, expulsar nos jovens e de algum modo escravizar os que cá ficam através da ausência de liberdade de escolha devido ao constante medo de miséria.